quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A chalana da saudade...

Imagem da Internet


A chalana da saudade

Bate dentro do peito

no remanso das águas que vão

Jeito brejeiro de mato

Corumbá, Pantanal do meu coração!! : )


 

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Se a dor vier me visitar...

Imagem da Internet

 

Hoje, por motivo de conserto de algum poste de luz, aqui, pelo bairro, ficamos sem energia elétrica por mais de seis horas. Ficamos desconectados  do mundo e das coisas. Melhor, então, para refletir sobre a mensagem da eucaristia deste domingo. O tema abordado foi sobre o sofrimento, sobre a dor. Tema este tão familiar à condição humana. Ninguém gosta de sofrer e muito menos de sentir dor. Nascemos para ser felizes. Não obstante, a dor bate a nossa porta. E o sofrimento adentra em nossas vidas. Quem não sofreu pela morte de uma pessoa querida? Quem não teve seus projetos alterados? Seus sonhos transformados? Quem nunca ficou doente? Quem não teve/tem alguém da família doente? Quem não sofreu a dor por algum acidente? Por alguma perda, por algum fracasso? Alguma desilusão, uma tristeza? Quem não carrega suas dores, suas angústias? Quem não vivencia a sua cruz?

Olhando para o mundo, encontramos tantas destruições, mortes, injustiças, fome, tragédias, guerras, frutos do egoísmo humano, do mal presente na vida de todos os seres e indagamos também feito  Jó se a vida do homem sobre a terra não é acaso uma luta contínua?! Vivemos num vale de lágrimas, trabalhando de sol a sol, sob o peso das adversidades que nos oprimem. Das contingências que nos fragilizam. Das fatalidades que nos enfraquecem. É uma visão que nos assusta, que nos desconcerta. As enfermidades, os sofrimentos que acompanham a nossa vida geram, sem dúvida, um estado de temerosa insegurança.

Um dia um colega me disse que admirava a forma como encarava a realidade da doença de meus familiares. Estar sempre sorrindo, de bem com a vida, apesar dos pesares. Enfrentar o sofrimento não é nada fácil, pois sofremos, sentimos dor. Mas, por outro lado, recordamos de Nosso Senhor. Sua paixão e morte. Seu sofrimento redentor. Que nos remiu. Se carregamos a nossa cruz, participamos um pouquinho que seja, da sua redenção, da sua vitória sobre a morte, sobre o mal. Eis, aí, de onde vem a nossa esperança, a nossa força. Da certeza, da nossa ressurreição. Da fé em nosso Salvador. Daquele que nos cura, que nos liberta de todos os males, de todos os medos, de todas as angústias, de todos os porquês. Basta somente acreditar.

Quem tem alguém doente em casa ou em hospitais sabe que a luta, a batalha não é fácil. Muitas vezes nos sentimos impotentes, fracos, frágeis. Choramos. Não dormimos direito. Preocupamo-nos com o amanhã. Não sabemos, não temos todas as respostas dos porquês. Mas mesmo assim, vamos em frente. Pois, se a cruz é pesada, não estamos sozinhos. O Cristo nos sustenta também. Entre nós carregamos uns a cruzes dos outros. Partilhamos a dor. E isso nos faz mais irmãos, mais próximos, mais unidos. Sorrimos e choramos juntos. Juntos, sempre. Eis, aí, o grande sinal do amor de Deus para nós:  estar juntos, unidos em Cristo, no bom combate até o fim.  Até enquanto Ele permitir pelo bem daqueles que cuidamos e de todos nós, pela nossa salvação.  E assim somos felizes.

As dificuldades, as adversidades já não nos afligem. A dor e o sofrimento existem. Mas, fazemos de tais realidades momentos de superação, de comunhão, de oração, de partilha de vidas, de crescimento interior. Afinal, ninguém quer sofrer, ninguém quer a dor, mas ele (o sofrimento), ela (a dor) nos fazem crescer. Que saibamos tirar de todo mal, um bem para nós e para os outros também!!

Que neste dia, em que falamos de sofrimento, de dor, de cura, de libertação, de cruz, que façamos uma oração em especial por todos os doentes do mundo inteiro. Doenças físicas, psíquicas. Doenças do corpo, da alma. Pessoas que estão em casa, nos hospitais, nas casas de saúde, nos asilos, nas ruas. Pessoas doentes que estão abandonadas à própria sorte. Pessoas que sofrem na carne as suas enfermidades. Que Nosso Senhor Jesus Cristo, filho perfeito do Pai Eterno, que durante a sua caminhada terrena enfrentou a fome, a injustiça, as adversidades, o sofrimento da paixão e morte de cruz, que carregou em seu corpo toda a culpa da humanidade pecadora, e, ao final, venceu a morte e todo o mal, que Ele em seu amor misericordioso, abençõe e proteja cada irmão que sofre. Pois onde há um doente, como disse o querido Pe. Pio, aí, está presente o Cristo. E onde houver um doente pobre, aí, o Cristo estará em dobro. Que Ele dê a cada um o conforto e a salvação eterna!! Amém!!

Um bom final de domingo a todos, uma boa noite!! : )



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Navegantes: um mar de gente...

Festa de Navegantes Porto Alegre/RS Mãe e filha



Hoje, acordei cedo. A mãe precisava realizar a coleta de sangue para os exames de praxe.  Havia me esquecido de programar tal coleta para ontem. Afinal, hoje, 02 de fevereiro, festa de Nossa Senhora dos Navegantes, participaria, assim como no ano passado, da caminhada/procissão em homenagem à Mãe Celeste.

Atrapalhada, um tanto quanto apreensiva, pois, às vezes, a coleta da mãe não é tão simples assim (às vezes não se consegue “acertar” a veia de primeira), acabei me esquecendo de verificar a bateria da máquina fotográfica, a carga do celular, enfim, nada programado, mas tudo desejado e querido, de forma espontânea e intensa, como costuma acontecer.

Também pensava, assim, com meus botões. Hoje, faz muito calor, aqui, em Porto Alegre. Serão 5 km. Seria bom que a mãe fosse?!! Amanhã, ela faz a quimioterapia. E não teve jeito. Ela decididamente quis participar. E não adianta falar-lhe não. Enfim, fomos os primeiros, lá, no laboratório que abria às 8h. E para nossa felicidade saiu tudo a contento. Encontraram a sua veia, de entrada, de primeira. Que alívio!!

Um mocaccino da máquina, ali, no bar do laboratório. E seguimos, então, para alcançar a procissão que já havia começado. Meu marido nos deu uma carona. E a caminhada ia já saindo da avenida Mauá. Então, entramos naquele rio caudaloso de gente que navegava no asfalto tórrido. Muito calor. Mas muita alegria também. Balões em azul como o manto de Maria. Crianças anjinhos com o brilho cativante no olhar. Homens, mulheres, jovens, crianças, idosos, todos, ali, rezando, agradecendo, pedindo a benção à Mãe dos Navegantes.

E eu pulando de um lado para o outro, feito milho de pipoca, pois com a máquina na mão, não queria perder um só lance que valesse à pena.  Ah, mas minha façanha durou até o momento em que a bateria acabou. Finita. Assim como é tudo na vida material...hehe!! A mãe caminhava. E eu estava satisfeita pois tinha que me conformar. Havia conseguido pelo menos algumas fotos. E estava, ali, onde gostaria muito de estar.

E nós navegamos naquele mar de gente. Nas ondas de calor deste belo dia de sol. No meio do povo. Maria conosco também caminhou. Aliás, ela nunca nos deixou, em nenhum momento sequer. Cantamos com o coração. Rezamos com nossa alma. Caminhamos os passos do amor de filhos por sua Santa Mãe!

São tantos momentos das nossas vidas já navegados. São tantos acontecimentos. Tantos fatos. Alegrias, vitórias. Mas há os sofrimentos também. Doenças, tristezas, agonias. Mas nada arrefece a nossa alegria, a nossa fé, o nosso amor. Afinal, se Aquela que foi e que é a Mãe de Nosso Senhor, que sofreu tamanha dor em ver o seu próprio filho crucificado,  também no silêncio nos ensinou. Por que, então, haveremos de sucumbir, de desistir?!!

Somos assim como aquele povo simples, sem medo de ser feliz. Feitos de carne e de ossos. De lutas e labutas. De sofrimentos. Mas, sobretudo, somos feitos de esperança. Somos Marias, somos Josés, somos Jesus. Somos famílias. Somos pessoas que crêem. Matéria prima: nossa fé! Assim como foi Maria, mulher em pé!!

Toma, Senhora Nossa, é teu o nosso coração. A Ti a nossa eterna gratidão. Mãe que sempre esteve, que está ao nosso lado. Que caminha conosco. Navega também nas ondas da nossa oração!!

Salve, Maria de tantos nomes, de tantas raças, de tantas origens, de tantas graças, de tantos atributos. Maria de Nazaré, mulher em pé, mulher de fé!!

Amém!!

Família Festa Navegantes


Pai e filha Festa Navegantes


Dom Dadeus Festa Navegantes


Dizeres camiseta do devoto


Criança anjinho


Fé devota


Azul devota









Ave, ó Maria...


a Ti consagro a minha família, os meus amigos,

meus parentes...

Consagro a Vós, os meus olhos, a minha língua, os meus ouvidos,

enfim, todo o meu ser...

Consagro a vida e saúde de nosso

querido amigo, Pe. Luiz Feracine...

A vida de minha querida mãe terrena, Maura.

Protege-nos, Mãe Santíssima, com teu manto sagrado

Concede-nos a graça de estar sempre

perto do seu filho muito amado Jesus!!

"Ave Maria, Mãe das estrelas, Mãe do céu

Alma doce da natureza...

Esta Terra que precisa de Ti

Transforma os corações dos homens

Para que o paraíso aconteça aqui

Santa Maria"!!

Amém!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...